Seja bem vindo
Naviraí - MS,16/07/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Soja e celulose puxam balança comercial e as exportações superam 5 bilhões de dólares

COMÉRCIO EXTERIOR

Fonte: DIVULGAÇÃO
Soja e celulose puxam balança comercial e as exportações superam 5 bilhões de dólares

A soja e a celulose puxaram a balança comercial de Mato Grosso do Sul, garantindo um superávit de US$ 3,71 bilhões no acumulado do ano. As exportações somaram US$ 5,098 bilhões, enquanto as importações totalizaram R$ 1,38 bilhões de janeiro a junho.

Nas exportações houve queda de 6,20% no valor comercializado, enquanto as importações recuaram 12,1% no ano. Os números constam da Carta de Conjuntura Comércio Exterior, publicada pela coordenadori de economia e estatística da Semadesc (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação).

Com relação aos principais produtos exportados, a ‘Soja’ apareceu como o primeiro item na pauta de exportações, com 37,94% do total exportado em termos de valor ou equivalente a US$ 2,3 bilhões no ano. O segundo produto da pauta foi a ‘Celulose’, com 20,49% de participação e receita de US$ 771,6 milhões.

A celulose que também foi destaque na balança comercial foi citada por Verruck. "A celulose continua com um mercado bastante dinâmico forte. Nós tivemos um crescimento de 35% nas exportações em relação ao mesmo período do ano passado", comemorou  o secretário.   

A China continua sendo o principal destino das vendas externas do MS, absorvendo 49,32% das exportações, seguido pelo Estados Unidos (5,50%) e Países Baixos (4,38%).

A indústria de Transformação passou por um aumento no seu valor de exportações (0,32%).  A agropecuária teve declínio de 14,39% no volume exportado, indicando uma redução na atividade agropecuária. A indústria extrativa registrou alta de 17,89% no valor de exportação, refletindo em uma variação positiva do desempenho no setor.

Devido a quebra na safra, a agropecuária e os setores ligados a atividade estão tendo desempenho mais fraco na balança em relação a 2023. 

"Tivemos uma redução no preço da soja no ano passado e também existe hoje por parte do produtor uma retenção do grão. Então o fluxo de comércio exterior não tem evoluído em termos de volume exatamente por conta do preço. Consequentemente o produotr está estocado, ou seja estamos com o nível de comercialização da soja abaixo do ano passado".

Segundo ele, esta queda represada, principalmente no segundo semestre ela deve avançar nas suas negociações. Com relação a recuo na exportação de minério de ferro ele relembra que a produção é constante mas existe uma restrição de calado no rio Paraguai, o que tem causado um retardamento do volume exportado. "A crise hídrica afetou as exportações de minério em MS", pontuou. 

MUNICÍPIOS

Entre os municípios, Três Lagoas lidera como maior exportador, com 23,82% do total das exportações, seguido por Dourados (8,56%), Antônio João (5,14%) e Campo Grande (4,46%).                                          




COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.