MENU
Sul News
Naviraí - MS, 20/10/2017
Hoje: Máx 0°C / Mín 0°C

No Araken você pode provar o gosto do sucesso

ESFIHA ABERTA

Foto: EDILSON OLIVEIRA
No Araken você pode provar o gosto do sucesso
Esfiha aberta em processo de montagem

EDILSON OLIVEIRA

Com gosto de sucesso, saborosa, cremosa com recheio suculento e para completar, com um leve toque de limão. Assim é a esfiha que arrebata paladares de quaisquer mortais e neste ano tem atraído várias centenas, muitos milhares de clientes. 

Você ainda não ainda não foi experimentar? O que estava fazendo que ainda não foi?  Faça como eu, vá experimente, saboreie, goste muito, recomende  e volte lá (Araken Choperia e Pizzaria, na avenida Dourados em Naviraí), mas se quiser comer em casa, basta pedir (telefones 3461 – 1290, 3461 – 8656, 3461 – 0253 e 9 9626 – 7564)   

Na cozinha, muito carinho e muita atenção para não perder o ponto da massa e o ponto na fornada. Passa tranquilamente de mil a média de unidades diárias vendidas. Desde o fim do ano passado, no começo da semana, tem sido vendidas de 700 a 900 unidades/dia, e chega a 1,5 mil no fim de semana, mas já houve ocasiões em que foram batidas a marca de duas mil esfias vendidas durante a noite.

São quatro funcionários trabalhando na cozinha no início a semana e oito no fim de semana, para poder dar conta do volume de pedidos feitos na lanchonete e para atender as encomendas, gente como a montadora de esfiha – Luciana dos Anjos e o masseiro Wellington Rosa da Silva, que adoram falar do seu trabalho no Araken.

Eles explicam que a massa não pode ficar muito mole, mas dizem que fazem tudo o que for possível para que não haja ressecamento. A exposição da massa ao ar livre não pode ser intensa, enquanto aguarda os retoques e a colocação dos ingredientes. E é preciso ficar controlar o tempo e ficar de olho na fornada. “tem que ter agilidade mas não se pode descuidar da qualidade”, diz Luciana.

Wellington diz que a massa gelada tem mais qualidade e agora, com a proximidade do verão, este cuidado está sendo intensificado. “Se preciso, a gente deixa até gelo aqui por perto do calor do fogo”, diz Wellington. “Parece brincadeira, mas aqui, temos que ter qualidade, desde a cozinha até o atendimento ao cliente”, declara, ao mesmo tempo em que toma cuidado para que não haja excesso de fermentação.

Segundo Luciana, são cerca de 20 minutos entre o início do trabalho na linha de montagem até a retirada da esfiha aberta de dentro do forno para ser levada ao encontro do consumidor. São treze tipos de esfihas salgadas e cinco variedades de sabores doces para a escolha dos clientes (preços por unidades variando entre R$ 1 a R$ 3). “Fazemos um trabalho bem diferenciado, para conquistar o seu paladar”, afirma o empresário Ailton Araken.