MENU
Sul News
Naviraí - MS, 24/11/2017
Hoje: Máx 0°C / Mín 0°C

Nota de repúdio as declarações do professor Alexandre Reginatto

DIREITO DE RESPOSTA

Foto: REPRODUÇÃO
Nota de repúdio as declarações do professor Alexandre Reginatto
Universidade de Rio Verde - UNIRV

N O T A    D E     R E P Ú D I O 

Nós, professores da Universidade de Rio Verde – Campus Caiapônia em manifesto gozo do direito previsto no artigo 5º, V CF/88 vimos exercer o direito de resposta às manifestações exaradas pelo professor Alexandre Orion Reginato publicadas no site sulnews.com.br sob título “professor Universitário denuncia irregularidade” aos dias 10/11/2017 e afirmar veemente que o professor fala apenas em nome próprio.

Em primeiro momento o professor afirma que “parece que só vira professor quem é amigo da administração ou da coordenação”. É importante mencionar que o processo de contratação da Instituição tem por objetivo a busca de professores com conhecimento prático e teórico nas disciplinas de atuação. Muitos professores, inclusive, anteriormente ao seu ingresso na Universidade sequer conheciam os coordenadores ou corpo administrativo que participam das contratações. Vários docentes residem em outras cidades que não na qual o campus está situado, como forma de demonstrar que a afirmação do professor está equivocada e ainda com caráter ofensivo e difamatório à capacidade dos profissionais deste Campus.

Em segundo momento o professor afirma que “estou em uma Universidade em que contratados geralmente não podem falar nada, não podem dar opiniões, tão pouco lutar com autonomia na Universidade”. Ressaltamos mais uma vez que a afirmativa não condiz com a realidade da Instituição, visto que a coordenação se mantém aberta e receptiva à críticas, sugestões, propostas e projetos vindos de todos os docentes. O professor Alexandre está na Instituição há apenas alguns meses e portanto desconhece a realidade vivida por nós, não tendo propriedade para dizeres desta natureza.

Os docentes deste Campus se mantém preocupados na busca pela qualificação profissional. Ao contrário do que foi citado nas passagens pelo professor, vários docentes possuem titulação de especialistas, mestrandos, mestres e doutores. Portanto, injusto afirmar que “existe porção de professores de direito apenas graduados”.

Para finalizar gostaríamos de registrar nossa indignação acerca da fala do professor “... e ainda sei de histórias de alunos que pagaram para professor passar o aluno... a imoralidade e a ilegalidade já é uma metástase por aqui”. Trata-se de imputação de fato típico aos docentes sem qualquer tipo de comprovação probatória. Imoral é a conduta adotada pelo professor de sem qualquer tipo de prova ou averiguação disseminar tais informações caluniosas e ainda mais, em caráter genérico, como se fosse uma postura de todos os docentes. Sem compreender a real intenção do professor Alexandre ao efetuar essas exposições, mais uma vez, em nome dos docentes que sentiram-se ofendidos, caluniados e diminuídos RECHAÇAMOS e REPUDIAMOS o texto publicado.