Seja bem vindo
Naviraí - MS,22/05/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

RS - Sobe para 100 o número de mortos após as enchentes

O Estado investiga outros quatro óbitos. São 128 desaparecidos e 372 feridos. Mais de 1,4 milhão de pessoas foram afetadas pelos temporais

Fonte: DIVULGAÇÃO
RS - Sobe para 100 o número de mortos após as enchentes Equipes de bombeiros, policiais, militares e civis voluntários ajudam a resgatar e abrigar moradores que tiveram casas inundadas

G1

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul atualizou para 100 número de mortos em razão dos temporais que atingem o Estado. O boletim divulgado na manhã desta quarta-feira (8) ainda aponta que há outros quatro óbitos sendo investigados. O Estado registra 128 desaparecidos e 372 feridos.

Há 230,4 mil pessoas fora de casa. Desse total, são 66,7 mil em abrigos e 163,7 mil desalojados (pessoas que estão nas casas de familiares ou amigos).

O RS tem 417 dos seus 497 municípios com algum relato de problema relacionado ao temporal, com 1,4 milhão de pessoas afetadasVeja abaixo os impactos nos serviços, educação e transportes.

Os municípios do Rio Grande do Sul calculam que ao menos 99,8 mil casas (como residências, prédios e condomínios) foram destruídas ou danificadas pelas tempestades e enchentes que atingiram o estado nos últimos dias.

Os dados parciais da tragédia são válidos do dia 29 de abril até a tarde desta terça-feira. As informações foram repassadas pelas prefeituras à Defesa Civil do Estado, segundo a Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

O nível do Guaíba, em Porto Alegre, baixou 20 centímetros nas últimas 24 horas, conforme atualizações divulgadas pela prefeitura. Medição realizada às 10h15 desta quarta-feira (8) pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) apontou 5,08 m.

Mesmo com a redução, o Guaíba segue mais de 2 metros acima da cota de inundação (3 metros), em consequência dos temporais que atingem o estado e que deixaram 100 mortos e acima de 130 desaparecidos até a manhã desta quarta-feira (8). A água segue avançando em ruas da Capital.

A área central de Porto Alegre mais próxima do lago Guaíba ficou completamente alagada. O aeroporto e a rodoviária não estão operando por estarem tomados por água.

Entenda, em dois pontos, por que as águas não baixam:

  • Bacias formam "funil": água em grande quantidade que escoa das bacias dos rios Taquari, Caí, Pardo, Jacuí, Gravataí, Sinos. Essas bacias "jogam" suas águas para o Guaíba, na Capital, formando uma espécie de funil que retém as enchentes e atrapalha a saída para o mar.
  • Ventos: ventos que sopram no sentido sul do litoral para o continente empurram a água da Lagoa dos Patos no sentido contrário, o que contribui com as inundações no Guaíba.

Infográfico mostra geografia de Porto Alegre — Foto: Arte/g1

Infográfico mostra geografia de Porto Alegre — Foto: Arte/g1




COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.