MENU
Sul News
Naviraí - MS, 24/11/2017
Hoje: Máx 0°C / Mín 0°C

Passando necessidades, trabalhadores da Dcoil fazem passeata

NAVIRAÍ

Foto: EDILSON OLIVEIRA
Passando necessidades, trabalhadores da Dcoil fazem passeata
Passeata dos industriários e trabalhadores rurais da Dcoil

EDILSON OLIVEIRA

Sem receber salários nos dois últimos, passando necessidades e em greve desde ontem, algumas dezenas dos 380 industriários e trabalhadotes rurais ligados a indústria Destilaria Centro Oeste Iguatemi Limitada (Dcoil), fizeram uma passeata pelas principais ruas da área central de Naviraí (trajeto pela  avenida Amambai, Praça Euclides Fabrris, avenida Weimar Torres, rua Alagoas, avenida Améia Fukuda, praça e volta à avenida Amambai).

Muitos trabalhadores dizem que não tem mais alimentos em casa, e não tem como comprar o básico para alimentar as suas famílias, além de não terem condições de pagar água, luz ou aluguel. “Como se não bastasse, agora eles cortaram o fornecimento de refeições e estão dizendo para os trabalhadores levarem marmitas”, diz indignado o presdiente do Sindicato, Altair Custódio.

Dentre os trabalhadores há cerca de 20 haitianos, que estão alojados em três casas, em Naviraí, todos eles passando necessidades. Muitos deles só tem tido a situação amenizada, graças a algumas pessoas que se apiedam deles e dão alguma ajuda.

Segundo o presidente do Sindicato dos  Trabalhadores nas Indústrias do Açúcar e do Álcool de Naviraí, Altair Custódio, há dois meses a direção da indústria sucro-alcooleira não paga os salários e atrasar os pagamentos tem sido uma prática constante neste ano. Para piorar, os trabalhadores suspeitam que o dinheiro descontado de seus vencimentos para o pagamento do Fundo de garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e as cestas básicas pactuadas no dissídio coletivo também não estao sendo entregues.

Do total de 350 trabalhadores, 87 foram demitidos na semana passada e os 263 já receberam o aviso de que a indústria deve fechar até o final de novembro. No entanto, eles não receberam o documento do aviso prévio. "Os trabalhadores da Dcoil não sabem quado irão receber os seus vencimentos, não sabem se estão sendo ou não depositadas as parcelas mensais descontadas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviços (FGTS) e por isto não sabem como serão as acertos de contas", lamenta Altair Custódio.

Os funcionário esperavam que o pagamento de pelo menos um dos dois salários atrasados acontecesse na última quinta-feira de outubro, mas isto não aconteceu. “Os trabalhadores foram dispensados, mas estão sendo chamados para terminar de moer um resto de cana que seria convertido em algo em torno de 20 mil litros de álcool. Evidente, os funcionários se negam a terminar o resto do serviço, porque eles estão com medo de a usina fechar sem liberar seus pagamentos.

Os industriários acreditam que a destilaria Dcoil, fundada em primeiro de julho de 2002, pelo médico Nelson Donadel, com a adesão de Maria Ide de Castro Donadel, no dia 31 de janeiro de 2006 e recentemente da empresa E.G. Administração e Participação Ltda possa estar entrando em um processo de falência. Uma negociação entre os sócios está sendo esperada, mas não há resultados efetivos e a falta entendimentos sobre vários aspectos administrativos reflete negativamente sobre a massa de assalariados.   

A Dcoil,em plena safra consegue fazer a moagem de 2,8 mil toneladas/dia de matéria-prima (cana), cujo processamento resulta na produção de 7 milhões a 7,5 milhões de litros de álcool (etanol).