MENU
Sul News
Naviraí - MS, 24/11/2017
Hoje: Máx 0°C / Mín 0°C

Juiz aposentado não empolga e hoje perderia para políticos profissionais

ELEIÇÕES 2018

Foto: AGÊNCIA ESTADO
Juiz aposentado não empolga e hoje perderia para políticos profissionais
Odilon de Oliveira deve fazer campanha escoltado por policiais

- Números do Ipems apontam derrota de Odilon de Oliveira para o governo e para o Senado -

WILLIAMS ARAÚJO

Embora considerado uma espécie de "reserva moral" e de ter criado forte expectativa de que seria um fenômeno de votos, o juiz aposentado Odilon de Oliveira, na iminência de se filiar ao Partido Democrático Trabalhista (PDT, perderia a disputa para os chamados políticos profissionais na briga por dois cargos eletivos distintos: Governo do Estado e Senado. 

A edição deste sábado do jornal Correio do Estado traz pesquisa do Instituto de Pesquisas de Mato Grosso do Sul Ltda (Ipems) que aponta essa tendência. 

Para o Senado,  o levantamento indica a liderança do ex-prefeito de Campo Grande Nelsinho Trad (PTB), seguindo pelo deputado federal e ex-governador  Zeca do PT, enquanto Odilon de Oliveira (PDT) amarga a terceira posição, embora empatado tecnicamente com o líder petista.

De acordo com a publicação, a pesquisa foi realizada com 1.329 eleitores em 50 dos 79 municípios,

Visto como carrasco de traficantes, Odilon também perderia a eleição para o ex-governador André Puccinelli (PMDB) na eventual disputa para governador do Estado.

A pesquisa do Ipems, publicada no decorrer da semana, aponta o juiz federal tecnicamente empatado com André e os dois disputariam, se forem candidatos, o segundo turno.

Na amostragem para o Senado, o juiz aposentado não está descartado pelo eleitor como uma das opções. Ele teria o ex-governador Zeca do PT como obstáculo a ser superado, porque, em tese, a primeira vaga estaria garantida a Nelsinho.

 

O juiz não escondeu, no entanto, a preferência pela disputa ao Senado. Mas foi convencido a concorrer ao governo do Estado.

 

Então, se as eleições fossem hoje, Nelsinho seria o primeiro escolhido, com 37,64% das intenções de voto.

 

Para a segunda vaga, Zeca do PT estaria com 32,24%, sendo perseguido de perto por Odilon, com 29,40%. Como a margem de erro estimada é de 2,69 pontos porcentuais para mais ou para menos, significa empate técnico entre os dois.

 

Polêmico, o juiz deve se filiar ao PDT levado por políticos profissionais, como o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, e o deputado federal Dagoberto Nogueira, presidente da executiva regional, os quais o convenceram a entrar para a política.