MENU
Sul News
Naviraí - MS, 20/10/2017
Hoje: Máx 0°C / Mín 0°C

Brasil vence e a Argentina se classifica

COPA DE 2018

Foto: MAURO HORITA
Brasil vence e a Argentina se classifica
Comemoração dos jogadores do Brasil

A Seleção Brasileira venceu o seu último jogo oficial antes da Copa do Mundo da Rússia. Na noite desta terça-feira, a equipe liderada por Tite derrotou o Chile por 3 a 0 no Palestra Itália, com gols de Paulinho e Gabriel Jesus (2), pela rodada derradeira das Eliminatórias. O resultado tirou o adversário do Mundial.

Atual bicampeão da América, o Chile permaneceu com 26 pontos, igualado ao Peru (que disputará a repescagem), mas levou a pior no saldo de gols e acabou na frustrante sexta posição. O líder Brasil alcançou os 41 pontos, bem distante do segundo colocado Uruguai, com 31. Argentina (28) e Colômbia (27) também se classificaram para a Copa da Rússia.

Findada as Eliminatórias, a Seleção Brasileira fará os seus últimos ajustes para o Mundial em uma série de amistosos. Os primeiros serão contra o Japão e a Inglaterra, em novembro. Existe a expectativa de o time de Tite ser testado também contra a anfitriã Rússia em março de 2018, mês em que haverá um reencontro com a algoz Alemanha, em Berlim.

ARGENTINA

Lionel Messi só joga pelo Barcelona. Lionel Messi não canta o hino. Lionel Messi é espanhol, não argentino.

Lionel Messi, 30, cinco vezes eleito o melhor jogador do mundo, cansou de ouvir as acusações em sua terra natal cada vez que algo dava errado pela seleção argentina. E muitas coisas deram nos últimos três anos, o que culminou com o país olhando para o abismo de não ir para a Copa do Mundo de 2018 antes da última rodada das eliminatórias sul-americanas.

Nesta quarta (10), quando a equipe mais precisou, Messi colocou a bola debaixo do braço e praticamente sozinho classificou o país para o Mundial do próximo ano. Ele fez os três gols da vitória da Argentina por 3 a 1 sobre o Equador, em Quito.

A seleção teve 12 minutos de pânico. No primeiro lance, Ibarra fez o gol do Equador. Aos 35 segundos, foi o mais rápido sofrido pela Argentina na história. Não poderia ter acontecido em momento mais impróprio.

Os visitantes não sabiam como responder. Não havia pressão da torcida. Dos 35 mil ingressos colocados à venda para a partida, 12 mil ficaram nas bilheterias do estádio Olímpico Atahualpa. Em vários momentos era possível ouvir a torcida argentina cantar, não a equatoriana. Mas o time não respondia em campo.

A letargia durou até que Messi recebeu passe de Di Maria na área e tocou para o gol. Não satisfeito, seis minutos depois roubou uma bola e a carregou até finalizar para a rede. A vibração chamou a atenção. Desde o gol contra a Bósnia, na estreia da Copa do Mundo de 2014, Lionel não celebrava com tanta raiva um gol.

A Argentina repetiu 1993 e 2009, quando sofreu e esteve ameaçada de eliminação, mas conseguiu se classificar. A seleção mantém sequência de participações na Copa do Mundo que começou em 1974.

Fora de campo, é possível mensurar o quanto ganhou o futebol local. A Fifa distribui US$ 2 milhões (R$ 6,3 milhões) para cada seleção classificada para a Copa do Mundo e mais US$ 10 milhões (R$ 31,7 milhões) ao final da fase de grupos. Com a classificação, a AFA (Associação de Futebol Argentino) garantiu o recebimento desta quantia. A partir do mata-mata, o prêmio cresce até o título. O campeão embolsa US$ 50 milhões (R$ 158,4 milhões).