MENU
Sul News
Naviraí - MS, 22/11/2017
Hoje: Máx 0°C / Mín 0°C

Bebê paraguaio está internado com meningite

ALERTA EPIDEMIOLÓGICO

Foto: MIRIAN MACHADO
Bebê paraguaio está internado com meningite
Josué de cinco meses no colo da mãe

- Segundo a Santa Casa, de janeiro até agosto deste ano foram notificados 26 casos de meningite -

MIRIAN MACHADO / CAMPO GRANDE NEWS

Vindo do Paraguai, o bebê Josué Coene, de 5 meses, está há quase uma semana internado na Santa Casa de Campo Grande. O bebê foi diagnosticado com meningite bacteriana. A família é da cidade de Concepción, no país vizinho.

A dona de casa, Norma Coene de 23 anos, mãe do bebê, disse que os primeiros sintomas que percebeu no bebê foi a pele amarelada e dor de cabeça. “Corri com ele para o Hospital de Porto Murtinho e no domingo à noite nos encaminharam para cá [Santa Casa]”, afirmou. 

Mãe enxugando as lágrimas enquanto conversava sobre o filho (Foto: Mirian Machado)
Mãe enxugando as lágrimas enquanto conversava sobre o filho (FOTO - MIRIAN MACHADO)

Muito abalada emocionalmente, a mãe conta que o bebê tem chorado bastante porque está com fome e não come direito. A mulher, que tem outros dois filhos, está desde então morando no hospital enquanto o filho é tratado.

Segundo a Santa Casa de Campo Grande, de janeiro até agosto deste ano foram notificados 26 casos gerais de meningite, enquanto no mesmo período do ano passado foram 19 casos.

Segundo o infectologista Maurício Pompilio, há várias causas de meningite. As mais comuns são vírus e bactérias, “Os sintomas são mais dores de cabeça, febre, vômitos”, afirmou.

A mais comum é a meningite viral, que não precisa de isolamento, mas há também a meningite bacteriana que é transmitida de pessoa para pessoa por meio de tosse, por exemplo. “Mas ao passar do tempo tem até diminuído porque hoje já existe vacina para elas [doença]”, informou

As doenças são mais comuns, segundo o infectologista, no inverno porque é quando tem aumento na aglomeração de pessoas, “Se uma pessoa tiver com a bactéria e tossir por exemplo, perto de outra, já passa”, disse. Mas é preciso fazer exames para diagnosticar a doença.