MENU
Sul News
Naviraí - MS, 23/8/2017
Hoje: Máx 0°C / Mín 0°C

Cone Sul não tem área destinada para a reforma agrária

LUTA PELA TERRA

Foto: EDILSON OLIVEIRA
Cone Sul não tem área destinada para a reforma agrária
Humberto Melo, superintendente do Incra - MS

EDILSON OLIVEIRA

Não há qualquer área destinada para a reforma agrária em Naviraí ou em qualquer outro municpipio da região do Cone Sul. A garantia foi dada pelo superintendente estadual do Instituto Nacional de Colonizaçao e Reforma Agrária (Incra) em Mato Grosso do Sul - Humberto Melo.

A notícia que frustra um pouco da luta dos colonos acampados, foi dada na manhã de sábado, durante a audiência pública sobre a produção da agricultura familiar e o proceso de reforma agrária, no plenário da Câmara Municipal de Naviraí, onde havia a presença do deputado federal José Orcírio Miranda (PT -MS), do vereador proponente Luis Alberto Avila Silva Júnior (Júnior do PT), do presidente da Câmara Municipal - Benedito Missias, lideranças dos movimentos sociais e mais de cem representates ds três acampamentos de sem-terra, que há no município de Naviraí.    

As áreas vistoriadas em Mato Grosso do Sul estão no eixo próximo da rodovia BR-267 entre Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina e Bataguassu ou então no entorno de Campo Grande. O que afastou o processo de vistorias na região da BR-163 (Cone Sul e Grande Dourados, entre Nova Alvorada do Sul e Mundo Novo), foi a luta pela terra indígena.

Os agentes do Incra julgaram que seria arriscado desenvolver um prcesso que poderia ser anulado futuramente. Agora o que se procura é a declaração da Fundação Nacional do Índio (Funai) e lideranças das nações indígenas, na qual deve ser exposta de forma clara e oficial o desinteresse pela terra de um determinado local escolhido para ser vistoriado, seja de latifundio improdutivo ou seja de área escolhida para a desapropriação (com pagamento via Títulos da Reforma Agrária - TDAs somado a indenização pelas benfeitorias).

O processo de vistoria pode durar de seis a nove meses "Queremos chegar a 60 ou 70 vistorias no Estado do Mato Groso do Sul, até o final do ano", disse Humberto.