MENU
Sul News
Naviraí - MS, 20/2/2018
Hoje: Máx 0°C / Mín 0°C

Moradores acham macaco morto e temem febre amarela

MARACAJU

Foto: MARACAJU SPEED
Moradores acham macaco morto e temem febre amarela
O animal foi encontrado morto em uma fazenda de Maracaju

- Moradores acham macaco morto e temem febre amarela -

GEISI GAMES / CAMPO GRANDE NEWS

Um macaco foi encontrado morto em um fazenda de Maracaju, neste sábado. Com medo do animal estar infectado pelo vírus da febre amarela, o proprietário da área acionou o Corpo de Bombeiros e a Vigilância Sanitária.

De acordo com o site Maracaju Speed, o animal foi encontrado em uma área de pastagem da fazenda - localizada às margens da BR-267, a 50 quilômetros da cidade - próximo a uma vegetação de mata nativa. Os moradores da propriedade estranharam a situação e preocupados, acionaram o Corpo de Bombeiros.

Os militares orientaram os moradores e acionaram a Secretaria Municcipa de Saúde de Maracaju e a Vigilância Sanitária. Segundo o site local, os dois órgãos se comprometeram a recolher o corpo do animal e enviá-lo a análise, para investigar se há presença do vírus da febre amarela.

SITUAÇÃO NO ESTADO

Conforme divulgado pelo Governo do Estado, nenhum caso de febre amarela foi confirmado em Mato Grosso do Sul. Por isso, não há motivo para pânico segundo a Secretaria Estadual de Saúde.

No ano passado, seis macacos foram encontrados mortos no Estado, mas os resultados foram negativos para a doença. Os primatas foram encontrados em Corumbá (2), Dourados (1), Ladário (1) e Campo Grande (2). Não é o animal que provoca a doença, mas o mosquito que transmite o vírus para os bichos e humanos. As mortes de macacos podem apenas funcionar como indicativo da circulação do agente causador.

O último caso de febre amarela em humanos registrado em Mato Grosso do Sul foi em 2015, de um viajante que contraiu a doença em outro estado. Ainda assim, a SES disponibilizou 80 mil doses da vacina contra febre amarela e orienta a todos e principalmente quem pretende viajar para estados com casos da doença, como por exemplo, São Paulo, que tomem a dose.