EDITOR: Edílson de Oliveira +55 67 9931-5912 | editor@sulnews.com.br




28/01/2014 16h03min
Raios em 2013 matam 82 em Mato Grosso do Sul
Em Caarapó ocorreram três casos somente no ano passado
[ ARQUIVO</span> ] Raio [ ARQUIVO</span> ] Raio [ OSVALDO DUARTE</span> ] Raio mata indígena
Os três casos de indígenas mortos em consequência de descargas elétricas provocadas por raios [dois em Caarapó e um nas proximidades de Itaporã], no mês de outubro do ano passado, contribuíram para firmar o Mato Grosso do Sul entre os cinco Estados com mais ocorrências desse fenômeno natural.

Nos últimos dez anos, dos 1.259 casos registrados com mortes, o Estado ficou em quinto lugar, com 82 ocorrências.

Os casos mais recentes, no final de outubro de 2013, indicam a morte de três índios que moravam na aldeia Te’y-cuê, em Caarapó. No primeiro caso, Idalécio Roque, de 68 anos, chegava na residência quando foi atingido pela descarga elétrica e Fabrizio da Silva, de 56 anos, morreu quando um raio o atingiu deitado na cama.

No Anel Viário que dá acesso à rodovia MS 156, de Dourados para Itaporã, um índio de 15 anos também morreu ao ser atingido por raio.

Veja os cinco Estados que registraram mais mortes por raio foram São Paulo - 181; Rio Grande do Sul - 98; Minas Gerais - 97; Pará - 93; Mato Grosso do Sul – 82.

Os raios são um fenômeno comum em regiões tropicais, e sendo o Brasil o maior dos países tropicais, é normal que ele seja um dos mais atingidos. A região centro-sul é a que apresenta maior incidência, principalmente o sul de Mato Grosso do Sul.

A maior parte dos acidentes com vítimas ocorre em zonas rurais, quando os raios atingem pessoas que estão em áreas descampadas. Outro local que costuma ser alvo de raios são os campos de futebol, mesmo em grandes cidades.

Por isso, em caso de tempestade, é recomendado procurar um abrigo seguro, já que no campo seu corpo funciona como um para-raios, atraindo para si as descargas elétricas vindas da atmosfera.

Entre 2005 e 2008, houve um aumento de 102,7% na incidência de raios no país. Uma hipótese para o aumento constante desses números está sendo estudada pelos cientistas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) em parceria com a Nasa e Universidades norte-americanas.

Segundo eles, o aquecimento global pode estar contribuindo para o fenômeno. Isso ocorreria porque, com mais raios, mais florestas são incendiadas, aumentando o efeito estufa. Esses incêndios liberariam mais dióxido de carbono [CO2], aumentando o número de raios e alimentando o ciclo.

Os cientistas acreditam que, a cada grau de aquecimento da temperatura terrestre, a incidência de raios aumente de 10% a 20%.

RANKING MUNDIAL
O Brasil é o país com maior incidência de raios no mundo. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), cerca de 70 milhões de raios atingem o país todos os anos, uma média de duas ou três descargas elétricas por segundo.

Além de causar incêndios e grandes prejuízos econômicos, esse fenômeno representa também uma ameaça à população. Anualmente cerca 300 pessoas são atingidas por raios no Brasil, e, dessas, morre em torno de 100. Isso representa 10% dos óbitos relacionados a descargas elétricas em todo o mundo.

TAGS: raios Caarapó

Fonte: Sulnews

Edílson Oliveira
PUBLICOU: Edílson Oliveira
E-Mail: editor@sulnews.com.br
Siga: @sulnews


/ EDUCAçãO - 17/12 16h03min
» Educador Inovador de Naviraí recebe premiação
/ AGRONEGóCIOS - 17/12 13h44min
» BPMRv prende 45 quilos de pasta base de cocaína
/ ESPORTES - 17/12 13h42min
» Garotada do Urso faz confraternização
/ CULTURA - 17/12 12h07min
» Absoluta 2014 acontece neste sábado
/ POLíTICA - 17/12 10h45min
» Resumo da sessão da Câmara Municipal de Caarapó
/ POLíCIA - 17/12 10h00min
» PM de Naviraí recupera moto furtada em Ivinhema
/ POLíCIA - 17/12 09h37min
» PMR apreende pneus na rodovia
/ POLíCIA - 17/12 09h01min
» Unei de Três Lagoas hoje ganha nova sede
/ POLíTICA - 17/12 08h20min
» Vice-prefeito busca recursos para Naviraí
/ POLíCIA - 17/12 07h30min
» PMR apreende 43 pulverizadores de pintura

Notícias no seu e-mail !

Informe seu nome e endereço de e-mail .

Newsletter

Para cancelar a inscrição clique aqui ».