MENU
Sul News
Naviraí - MS, 24/11/2017
Hoje: Máx 0°C / Mín 0°C

Corinthians comprou craques que nunca vestiram sua camisa

Timão adquiriu direitos de dois grandes jogadores no passado, mas ambos jamais vestiram o manto do clube. Saiba quem foram eles!

Por Rogério Micheletti 16/09/2015 - 18:18 hs

Tem negociações praticamente sacramentadas, mas que na última hora, por alguns detalhes, não vingam ou não vingaram no futebol. Isso já se tornou costumeiro. Já teve caso de jogador que chegou a vestir a camisa de determinado clube (caso de Sócrates, na Ponte Preta), mas jamais jogou uma partida pelo mesmo.

Dois casos que escrevo agora ocorreram no Corinthians. Um em 1986 e outro em 1993. Primeiro é sobre Renato Gaúcho. Grande destaque do Grêmio, desde 1983, o ponta-direita teve o seu passe adquirido pelo Corinthians três anos depois. À época, o diretor de futebol do Corinthians era Alberto Dualib.

“Nós acertamos tudo com o Renato em um hotel aqui em São Paulo. Antes disso, já tínhamos acordado com o Grêmio a compra do passe do jogador. Tudo em ordem! Até uma cláusula que o Renato quis colocar no contrato, nós aceitamos. Mas o Renato fugiu do hotel, quando eu me preparava para apresenta-lo à imprensa. Não sabia o que falar para os jornalistas. A TV Manchete estava ao vivo”, conta Alberto Dualib.

Segundo o ex-cartola do Corinthians, o ponta-direita Renato Gaúcho recebeu uma ligação, no hotel, pedindo para não acertar com o Corinthians e seguir para o Flamengo. Algo que depois aconteceu de fato.

“Chegaram a falar que o Renato foi sequestrado, no bom sentido, por dois jogadores que estavam no Flamengo: o lateral Leandro e o Sócrates. E até tem a história de que ele (Renato) deixou o hotel vestido de mulher foi falada. Nunca descobri a verdade. Queria um dia encontrar com o Renato para saber o que aconteceu”, diz Dualib.

Depois disso, Renato Gaúcho jogou pelo Flamengo (campeão da Copa União em 1987), Roma, Botafogo, Cruzeiro, Atlético Mineiro, Fluminense...

Dener em 1993

Outro craque que o Corinthians chegou a comprar o passe, mas que jamais defendeu o alvinegro foi o saudoso meia-atacante Dener. Alberto Dualib já era presidente do Corinthians em 1993.

“Nós compramos o Dener por US$ 1,8 milhão. Estava tudo certo com o presidente da Portuguesa e também com o jogador. Mas o COF (Conselho de Orientação Fiscal), da Lusa, vetou a negociação, infelizmente”, lembra Dualib, aos 95 anos de idade.

Tempos depois, Dener, que tinha tudo para ser um dos maiores jogadores do futebol brasileiro, foi emprestado ao Vasco da Gama e no Rio de Janeiro morreu em um acidente de carro perto da Lagoa Rodrigo de Freitas.